quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Novas experiências da intercambista Rosamarina Quadros

Um fim de semana em Barcelona


Primeira impressão da cidade: cidade grande, com muitos monumentos, cidade moderna, muito trânsito e muitas pessoas. Segunda impressão: cidade turística e global, mais estrangeiros do que nativos, cidade de consumo, de futebol e um pouco de desigualdades sociais. 

Essas impressões foram de alguém que, fora do Brasil, só havia conhecido Madri, de cidades grandes. Portanto, são comparações sim. Barcelona se vê muito maior que Madri, ainda que em verdade não seja nem em número de habitantes nem em território. E, em primeiras impressões, pode-se ver alguns dos problemas sociais, ainda que não se compare aos países subdesenvolvidos. 

Eu estava receosa de chegar a Barcelona e as pessoas me olharem torto pelo meu espanhol castelhano, pela questão separatista que estava em alta no momento e me haviam dito que os catalães eram menos receptivos que os andaluzes. Mito, em uma cidade turística como Barcelona, os catalães com quem tive contato não eram assim. Pelo contrário, os comerciantes, os ônibus, os aeroportos até falam um pouco de português, diferente de Madrid e da Andaluzia. Será por causa no Neymar? Haha... Brincadeiras a parte. 

Ao longo dos três dias pude confirmar que Barcelona é uma cidade moderna, bastante influenciada por Dalí, Miró e, principalmente pelo arquiteto Gaudí. As obras deste artista ali são marcantes, como o Parque Güell, Casa Batlló, Casa Milá, Sagrada Família, até os postes de iluminação da Plaça Reial, entre muitos outros. O Parque Güell é lindo, os azulejos e as porcelanas coloridas, em estilo cubista dão um toque alegre à cidade, contrastando com o ritmo corrido, os jardins que estão ao redor são tão lindos quanto. Também se pode visitar durante a noite e ter uma bela visão da cidade e das suas atrações noturnas. 



Parque Güell
(Fotos arquivo pessoal)


Tive o privilégio de visitar a Casa Batlló, que, de fachada não se destaca tanto dos seus vizinhos na Avenida Passeig de Gràcia. Mas ao entrar, a visita é impressionante. Vale a pena! Um elogio especial para a equipe de manutenção e turismo da casa, pois fornece uma visita muito completa, usando tecnologia de ponta. Recebemos um áudio-guia e um aparelho eletrônico parecido a uma câmera de smartphone, que você foca o cômodo e ele te mostra cada ponto como era mobilhado na época em que a família Batlló vivia ali à medida que você circula com o aparelho, vê os móveis desenhados por Gaudí no início de século XX. É como se entrasse nesse mundo, além disso, há alguns efeitos especiais de animação com as formas sinuosas, as cores esplêndidas, a relação de tudo com a fauna e flora marinhas. No fim da visita, há uma sala com alguns móveis criados por Gaudí, com sua mescla de criatividade, beleza e funcionalidade. Meu único erro ali foi escolher o áudio-guia em português (de Portugal), entenderia melhor em castelhano! Haha... 



Casa Batlló
(Fotos arquivo pessoal)


Barceloneta e as outras praias dão um encanto especial à cidade, encanto que toda cidade de praia tem. A costa é belíssima e o mar mediterrâneo azul escuro lindo! Eu e minha amiga descobrimos uma feira à beira da praia que dava água na boca. Tinha comidas espanholas deliciosas e um extra como doces de frutas tropicais... humm... 



(Fotos arquivo pessoal)


Que delícia foi passar o fim do inverno ali. Um clima ameno de nem frio nem calor, ou, que seja alternado entre frio na sombra e calor no sol, sensação muito rara para brasileiros. As flores da cidade bastante coloridas combinam perfeitas com os monumentos de Gaudí. Os parques possuem muita vegetação, bem diferente da região central e sul da Espanha, que é mais seca. O Parc de la Ciutadella tem belos chafarizes, lagos, monumentos e palácios ao redor.

Pude também assistir a um espetáculo de ballet com a Companhia Nacional de Dança da Espanha no Grand Teatro Liceu de Barcelona, que é um dos maiores e mais antigos do país. Mais alguns comentários para quem pretende visitar a capital da Catalúnia. Deem toda a volta completa na Catedral Sagrada Família, pois na minha primeira vez em Barcelona cometi o erro de olhar só um dos lados, mas ela é toda ornamentada. Assistam ao espetáculo de luzes e águas na frente do Museu Nacional de Belas Artes da Calalúnia, ocorre à noite, e vejam uma vista panorâmica da cidade no Catell de Montjuic. Eu não pude fazer tudo isso em dois dias e meio, então passe mais dias ali se for possível. 

Barcelona é uma das cidades mais coloridas da Espanha, há outras cidades coloridas, porém, em um estilo muito diferente, são as cidades andaluzas, com muita influência das culturas árabe e muçulmana e judia.


Texto de Rosamarina Quadros

Estudante de História da Arte

18/06/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário