segunda-feira, 4 de março de 2013

Passo-a-passo antes da viagem para a Colômbia - Programa Íbero-Americanas

Intercâmbio: o que é necessário fazer antes do embarque


Quando soube que havia conseguido a bolsa de intercâmbio (Programa de bolsas Íbero-Americanas) repensei a ideia de realmente ir ou não. Podem acreditar, é diferente quando se consegue uma bolsa de estudos, pois, por mais que você queira muito e há certo tempo tem buscado conseguir, quando se recebe a notícia, você precisa de pelo menos dois dias para assimilar tudo e toda a novidade que está por vir. Do contrário, quando alguém vai por conta própria, a pessoa leva alguns meses ou anos para se preparar, juntar dinheiro e dia após dia se acostumar com a ideia de viver em outro país por um período de até um ano.

Quando soube da notícia tinha apenas uma certeza: economizar todo o dinheiro que entraria na conta corrente. Não tinha uma estimativa de quanto gastaria com todo o intercâmbio, quanto era a hospedagem, o transporte, o custo de vida. Na realidade, eu sequer entendia o dinheiro da Colômbia antes de viajar, com seus infinitos zeros ao final dos preços. Por isso, busquei economizar ao máximo, abrir mão de alguns gastos não tão importantes no momento.

Sabemos que apenas o valor da bolsa recebido pelo Programa Ibero-Americanas pode não ser suficiente dependendo do país para qual cursará o Intercâmbio. Na UERJ, acredito que a única opção de país para esse programa continua sendo (ou sempre será) a Colômbia. Cada universidade do Rio tem apenas uma opção de país.

Algo de grande importância foi a UERJ ter custeado as passagens aéreas e seguro saúde. Então, quanto a isso fiquei despreocupada, pois a parte burocrática da solicitação da passagem e do seguro é toda resolvida pelo próprio DCI. No meu caso, eles deram a opção de escolher as datas de embarque e de regresso, baseadas na carta de aceitação que recebemos pela Universidade do país que iremos estudar.

Acredito que o essencial antes de se candidatar ao intercâmbio é:


- retirar passaporte;
- solicitar ao curso de idiomas um certificado ou diploma de conclusão;
- verificar se todas suas vacinas estão em dia, se o país para qual se viaja tem a obrigatoriedade de alguma vacina em especial e retirar o CartãoInternacional de Vacina;
- fazer um check-up médico geral antes do embarque;
- fazer uma declaração válida e autenticada no cartório de um representante legal seu no Brasil, alguém que responda por você enquanto você não estiver aqui. Essa pessoa tem que ser de confiança, pois você dará a ela qualquer direito de decisão seu. Isso é importante caso você precise trocar datas de passagens no aeroporto, resolver assuntos burocráticos que só poderiam ser resolvidos por você e no Brasil, entre outros;
- pesquisar muito sobre o país que irá fazer intercâmbio e buscar referências com outras pessoas que já estiveram por lá;
- verificar de que forma irá movimentar o seu dinheiro no país, quais bancos existem e a melhor opção, se haverá muitas taxas em cima do valor do saque.



Eu, por exemplo, fiz o cartão internacional de viagens pelo banco Itaú (Global travel – American Express), o que é muito útil e tem menos taxas, e fiz o desbloqueio do cartão internacional do Santander para saques internacionais. Lá na Colômbia não existe o banco Santander e Itaú, então tive que verificar a bandeira do cartão (se é Visa, Mastercard, American Express) e os caixas eletrônicos válidos para essas bandeiras. Para quem vai viajar para a Colômbia tem a opção dos bancos Davivienda e Bancolombia. Além disso, é importante fazer o desbloqueio e habilitar o seu computador para realizar transações on-line pela internet e atualizar todos os seus dados com os bancos que irá realizar essas transações. Tive um problema sério quando precisei formatar meu computador durante o intercâmbio, pois meus dados no Santander não estavam atualizados, faltava o meu e-mail, e o Santander me informou que quando se está em outro país, a única forma de você habilitar o seu computador é por e-mail. Verifique tudo isso antes do embarque para não correr o risco de não poder movimentar o dinheiro fora do país.

Além desses itens, há outros como:
 - retirada do visto,
 - hospedagem,
 - carta de aceitação da faculdade no exterior, entre outros.


Visto



Para a retirada do visto é importante verificar se há no Rio de Janeiro um consulado geral do país. No meu caso, eu tive que enviar toda a documentação e passaporte para São Paulo e contratar uma empresa para que fizessem a entrega do visto aqui em casa. Você só poderá solicitar o visto quando estiver com a carta de aceitação da Universidade que irá cursar intercâmbio. Não sei se é necessário em todos os países, mas no caso da Colômbia assim que você entra no país é necessário registrar na Migração a sua entrada.  Eles vão anotar e carimbar em seu passaporte a sua entrada e toda vez que sair e entrar no país será carimbado também. Alguns países têm a obrigatoriedade dos estrangeiros que ficaram mais de 90 dias pagarem uma taxa ao sair do país em definitivo. Na Colômbia não precisei pagar essa taxa, pois viajei ao Equador e ao ingressar no país eles carimbaram de novo essa entrada, portanto contabilizava menos de 90 dias..


Dicas


Uma dica importante é verificar se o país para qual se viaja tem alguma política de impostos. Na Colômbia soube que o Governo reembolsa o imposto IVA ao estrangeiro quando sai do país. Porém é válido para alguns tipos de produtos e serviços. Para solicitar o reembolso você precisa guardar todos os comprovantes de compras no qual vem especificando o tipo de produto, o valor e o valor calculado do IVA, mas para isso tem que ser apenas compras realizadas no cartão de crédito. Nesse caso, é interessante fazer compras com os cartões internacionais de viagem (como o Global Travel), pois ainda que seja utilizado como um cartão de débito (você parcela em apenas uma vez) é valido nesse caso como cartão de crédito, além de não ter anuidade e nem IOF.



Acredito que além desses itens, há muitos outros, pois cada país pode ter algo novo para ser acrescentado. Por isso a importância de pesquisar muito sobre o país que irá fazer intercâmbio e viajar com pelo menos 15 dias a um mês antes do início das aulas na Universidade no exterior. Desta forma, você poderá buscar com calma um alojamento, verificar com a Universidade se há referências de repúblicas, apartamentos para alugar. Além disso, é bom você escolher muito bem as matérias que irá cursar e verificar se elas podem servir para serem substituídas por matérias similares na UERJ. Uma dica: caso queira aproveitar bem o país e viajar para outras cidades além de estudar, não escolha um número alto de matérias para cursar. As faculdades podem ser muito exigentes quanto a trabalhos, apresentações, notas e conteúdo. Como pode, você morar em outro país por seis meses e não ter tempo de conhecê-lo com calma e da melhor maneira, não é? Portanto, aproveite muito essa experiência, dia após dia, intensamente! :)


Abraços,
Jessica Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário